fbpx
Compartilhar no WhatsApp


“A criatividade é a inteligência se divertindo”. (Albert Einstein)

 

Aprender é mais que um ato de decodificar e codificar sílabas, símbolos, imagens, eventos históricos etc, mas é um exercício que envolve além de conhecimentos, algumas habilidades, como, emoções, atitudes, motivação, entre outras. Neste sentido, o ensino-aprendizado é como uma colcha de retalhos velha e colorida. Velha, porque “não há nada novo debaixo do céu”, e colorida, porque é heterogênea. Cada retalho dessa colcha é como se fosse uma pessoa. Começando pelo código genético, as pessoas são diferentes umas das outras, e, por conseguinte, elas possuem diferentes tipos de inteligência. E consequentemente, diferentes formas de aprender, de apreender a realidade, de reaprender, de criar coisas etc.

Nesse viés, Howard Garner (1995), psicólogo norte-americano fez uma classificação das inteligências múltiplas de forma bem didática. São elas:

  1.  Linguística
  2. Corporal-cinestésica
  3. Intrapessoal
  4. Interpessoal
  5. Lógico-matemática
  6. Existencial
  7. Espacial
  8. Naturalista
  9. Musical

Quais são as suas três inteligências mais fortes? E quais as três mais fracas? Você já parou para pensar nisso? Cada ser humano aprende melhor de determinada maneira, mas isso não significa que ele não possa desenvolver outras inteligências e competências ao longo da vida. Por isso, é fundamental estar antenado nas tendências pedagógicas e se atualizar constantemente, seja por meio de cursos, ou por meio de leituras literárias e não literárias, filmes, videoaulas, jogos, hackatons etc. Aprender é um processo e como todo bom processo, necessita de boas estratégias. Nesse contexto, surge a Sm@rtEnsino, uma startup com proposta de cursos on line e presenciais totalmente gamificados, para soluções educacionais, empresariais e em desenvolvimento humano.

A gamificação surge a partir do ensino com jogos e metodologias ativas. Mas a ideia de gamificar o aprendizado não é tão nova como parece ser. Os jogos sérios abriram espaço para diversos desafios conduzidos por recompensas. Jogo sério ou “serious game” então, é um jogo do tipo educativo, que segue padrões do design de jogo interativo. O objetivo desse tipo de jogo é comunicar conteúdo educacional ao usuário. É “sério” justamente por visar mais conteúdos educacionais do que apenas proporcionar entretenimento. A área educacional apropriou-se bastante dessa ferramenta para de forma interativa transmitir conhecimento e informação.

 

Os jogos sérios são uma forma de ensinar proporcionando uma experiência divertida, e, às vezes, impactante em quem joga. Mas esse tipo de game não é um produto de agora. O primeiro serious game foi desenvolvido pela empresa Atari, na década de 1980, o Army Battlezone. Ele foi criado para o treinamento de militares em cenários de batalha. Atualmente com a sofisticação tecnológica, os jogos sérios têm recebido uma gama de temáticas, desde os empresariais até os comportamentais.

Cursos e palestras que usam gamificação são uma ótima forma de ensinar, motivar e engajar o aluno, que aceita os desafios em troca de um prêmio, mas ao mesmo tempo aprende com todo o processo até chegar na recompensa final. Segundo o MIT, “os jogadores exibem persistência, atenção aos detalhes e resolução de problemas, todos os comportamentos que, idealmente, seriam regularmente demonstrados na escola”. Assim, gamificar é atrair quem joga para o cenário educacional ou empresarial e criar nele expectativas, gerar desafios e contribuir para a recompensa de conhecimentos técnicos, chamados de hard skills, de atitudes psicossociais e emocionais, as soft skills, além do prêmio que pode ser físico ou de reconhecimento pessoal, por exemplo.

A Universidade de Oxford também pondera o seguinte sobre a importância de jogar: “pesquisadores descobriram que jogar depois de ver imagens traumáticas reduziram flashbacks do evento, ajudando no tratamento do estresse pós-traumático”. A gamificação não é um jogo em si, mas é uma forma de levar para uma aula, curso ou workshops, processos semelhantes a de um jogo, para ensinar e divertir ao mesmo tempo em que se está utilizando a mecânica de jogos.

E esta é a proposta da Sm@rtEnsino, oferecer cursos educacionais gamificados em diversas áreas do conhecimento, visando efetividade no ensino-aprendizagem, com respeito à diversidade de perfis de aprendizado e múltiplas inteligências. Cursos gamificados do início ao fim, para engajar e motivar o aluno, sem perder o foco no conteúdo.

No que tange os cursos empresariais, a proposta é oferecer gamificações sobre diversas áreas que permeiam o contexto organizacional, como feedback, gestão de informação, recrutamento de pessoal, motivação e engajamento de equipes, gestão do tempo e produtividade, gestão da qualidade, criatividade e inovação etc, bem como oferecer também soluções personalizadas à cultura institucional de cada empresa.

Já os cursos para desenvolvimento pessoal têm foco no perfil comportamental e na gestão das emoções. São soluções centradas no design empático, no autoconhecimento, no coaching, em inteligência emocional, na psicologia e comunicação positiva, no marketing pessoal, entre outros. Enfim, a Sm@rtEnsino lança mão de inovação e estratégias de gamificação para auxiliar você a aprender se divertindo. Em breve, ofereceremos cursos gamificados de eneagrama, design thinking, empreendedorismo, pitch, storytelling, múltiplas inteligências, entre outros.

 

Michele Souza

Por que gamificar?
Classificado como:                                                                                

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *